Mudando a ordem de boot no Ubuntu (ou similares) com GRUB 2:

1. Verifique no prompt do boot, qual a ordem do S.O. que você quer.

Por exemplo: a primeira linha no prompt tem a ordem zero, a segunda 1 e assim por diante. Suponha que o S.O. selecionado esteja na ordem 5 (cinco).

2. Abra o arquivo, em /etc/default/grub:

$ sudo gedit /etc/default/grub

3. Procure a linha:

GRUB_DEFAULT=0

E mude para:

GRUB_DEFAULT=5

Salve e feche o arquivo.

4. Depois, rode o comando:

$ sudo update-grub

No próximo boot, a quinta linha do prompt será executada por padrão, abrindo o S.O. selecionado.

Para aqueles que querem utilizar resoluções maiores em netbooks, segue uma forma de habilitar a opção de 1024×768:

 

Atenção: esta operação envolve alterações no registro do Windows, que podem afetar o funcionamento do sistema. Muito cuidado ao efetuar este tipo de configuração.

 

1) Abra o registro do Windows -> Iniciar, Executar, digite regedit e clique em Ok ou tecle Enter;

 

2) Clique com o botão direito do rato na pasta HKEY_LOCAL_MACHINE, e depois em Localizar;

 

3) Digite Display1_DownScalingSupported no campo de busca e clique em “Localizar Próxima”;

 

4) Altere o valor da chave de 0 para 1;

 

5) Repita a busca pressionando F3 e altere o valor da chave de 0 para 1;

 

6) Continue com a busca até ter alterado todas as chaves;

 

7) Reinicie o computador e altere a resolução para a desejada;

 

Este processo habilita resoluções que não são suportadas nativamente pela tela do computador, o que pode provocar distorções na imagem.

 

Para aqueles que não conseguiram encontrar as chaves indicadas, podem criar as chaves através de um arquivo de texto com extensão .reg com o conteúdo abaixo e em seguida adicioná-las ao registro (executando o arquivo):

 

Windows Registry Editor Version 5.00

[HKEY_LOCAL_MACHINE\\SYSTEM\\ControlSet001\\Control\\Class\\{4d36e968-e325-11ce-bfc1-08002be10318}\\0000]
“Display1_DownScalingSupported”=dword:00000001

[HKEY_LOCAL_MACHINE\\SYSTEM\\ControlSet001\\Control\\Video\\{ADEEA6C7-65B4-4681-AE29-066D3797D2FA}\\0000]
“Display1_DownScalingSupported”=dword:00000001

[HKEY_LOCAL_MACHINE\\SYSTEM\\ControlSet001\\Control\\Video\\{ADEEA6C7-65B4-4681-AE29-066D3797D2FA}\\0001]
“Display1_DownScalingSupported”=dword:00000001

 

Depois reinicie o computador.

Agora só colocar na resolução 1024×768 para evitar os erros de resolução.

 

De posse da imagem ISO e de um Pendrive, basta seguir alguns poucos passos no terminal do Mac, para executar esta simples tarefa, seja para criar um Pendrive bootavel com qualquer iso de sistema operacional.

 

Primeiramente, conecte o Pendrive ao Mac

Acesse o aplicativo Terminal.app, pelo Spotlight (? + Tecla Espaço) ou diretamente através do diretório /Applications/Utilities/

Execute o comando “diskutil list“, para obter uma lista de discos disponíveis:

$diskutil list

O retorno do diskutil list, poderá ser semelhante à isto:

/dev/disk0
   #:                       TYPE NAME                    SIZE       IDENTIFIER
   0:      GUID_partition_scheme                        *320.1 GB   disk0
   1:                        EFI                         209.7 MB   disk0s1
   2:                  Apple_HFS Macintosh HD            319.2 GB   disk0s2
   3:                 Apple_Boot Recovery HD             650.0 MB   disk0s3
/dev/disk1
   #:                       TYPE NAME                    SIZE       IDENTIFIER
   0:     FDisk_partition_scheme                        *4.0 GB     disk1
   1:                 DOS_FAT_32 SCHMITZ                 4.0 GB     disk1s1

Identifique o disco relativo ao Pendrive, neste caso, é o /dev/disk1

Desmonte o disco, com o comando “diskutil unmountDisk

$diskutil unmountDisk /dev/disk1

Note, que “/dev/disk1? neste caso é o Pendrive/Disco anteriormente identificado através do comando diskutil list.

Uma vez que o disco esteja desmontado, você poderá acessa-lo e altera-lo à baixo nível.

Localize a imagem ISO que deseja gravar no Pendrive ou copie-a para um local de fácil “acesso”.

Para efetuar a cópia, iremos utilizar o utilitário dd, o qual já se encontra disponível no Mac OS X.

Para saber mais sobre o dd, basta consultar o Manual, digitando “man dd” no Terminal.

A sintaxe básica do dd é:

dd if=origem of=destino

Partindo para a cópia…

Substitua origem e destino, pelo arquivo ISO e pelo disco de destino respectivamente, logo teremos algo semelhante à:

sudo dd if=*.iso of=/dev/rdisk1 bs=128m
*o nome do arquivo.

Note que, para acelerar o processo de cópia, complementamos o comando, definindo parâmetro block size (bs) como 128m e alteramos o disco de destino incluindo um “r” antes de “disk1“.

bs indica que os blocos de leitura e escrita devem possuir o mesmo tamanho, enquanto que o “r” define que o disco deve ser acessado no modo raw.

Quando o processo de cópia for concluído, você receberá uma mensagem informando o tempo decorrido e a quantidade de bytes transferidos.

Tudo pronto, agora basta desconectar o Pendrive e utiliza-lo.

Primeiro adicione o repositorio do fuse-exfat

sudo add-apt-repository ppa:relan/exfat

Então atualize as fontes

sudo apt-get update

instale o fuse-exfat

sudo apt-get install fuse-exfat
Leia o artigo na íntegra »

O editor html Komodo Edit, é uma aplicação que permite a edição de linguagens dinâmicas.

O Komodo Edit é basedo no premiado Komodo IDE  que oferece suporte as principais linguagens de programação do mercado incluindo autocomplete e calltips, suporte a multi-language, FTP upload/download, syntax coloring e checking.

Tambe? suporta Perl, PHP, Python, Ruby, Tcl, plus JavaScript, CCS, HTML, XML, HTML-Smarty e Django.

Editor HTML Komodo edit 8 no Ubuntu 13.04

Leia o artigo na íntegra »

Ocultar arquivos no Mac OS X não é tão simples quanto no Windows, pois requer a utilização de comandos via Terminal. Para facilitar as coisas, o TechTudo preparou esse tutorial detalhado que mostra como esconder arquivos e pastas no Finder. Você também aprenderá a acessar pastas ocultas e desocultar arquivos.

Passo 1. Abra o Terminal. Para isso, acesse sua pasta de “Aplicativos”, abra “Utilitários” e execute o “Terminal”;

Acessando o Terminal (Foto: Reprodução/Helito Bijora)
Acessando o Terminal (Foto: Reprodução/Helito Bijora)

Leia o artigo na íntegra »

O smartphone Nexus 4, fabricado pelo Google em parceria com a LG, já está liberado para ser comercializado no Brasil. O aparelho consta na lista de modelos homologados pela Anatel, contrariando informações que garantiam que a Agência não iria aprovar o produto e que ele nunca chegaria ao país. O smartphone chega para rivalizar com outros aparelhos “top de linha” como iPhone 5, disponível no Brasil a partir do dia 14, Galaxy S3, Lumia 920 e outros.

Fotos do Nexus 4 homologado aparecem no site da Anatel (Foto: Reprodução)
Fotos do Nexus 4 homologado (Foto: Reprodução/Anatel)

Leia o artigo na íntegra »

Quem tem um iPhone sabe que a Apple impõe certas limitações para algumas funções. Por isso, o iPhone não permite que se use uma música que você tem na sua biblioteca do iTunescomo toque.

O TechTudo descobriu uma solução bem simples de colocar como toque aquela música que você ripou de algum CD ou tenha comprado em lojas online. Contudo, apenas 40 segundos da música podem ser usados, por isso é preciso selecionar previamente o período da música que você deseja. Veja como fazer:

iTunes 10 (Foto: Divulgação)iTunes 10 (Foto: Divulgação)

O site Uol fez um comparativo muito bom sobre todos os aspectos entre os aparelhos considerados “top de linha” dentre os smartphones : Iphone 4s e Samsung Galaxy S3.

Leia o artigo na íntegra »

Samsung vai começar a atualizar o Galaxy S3 para o Android 4.1 Jelly Bean a partir desta segunda-feira (24). A informação é do site The Verge, que afirma que o primeiro país a receber a nova versão é a Polônia. Os demais locais serão atendidos gradualmente, recebendo a nova versão do sistema nos próximos dias.

Android 4.1 colocado na sede do Google (Foto: Reprodução) (Foto: Android 4.1 colocado na sede do Google (Foto: Reprodução))

Além de anunciar a atualização do S3, a companhia sul-coreana ainda confirmou os outros aparelhos que vão ganhar o updateem breve. São eles: Galaxy S e S Duos,Galaxy S2Galaxy Note, Galaxy Mini,Galaxy Ace e Ace 2. Entre os tablets estão o Galaxy Tab 2, Tab 10.1Galaxy Tab 7.0 Plus e o Note 10.1. Os modelos que não constam na lista ainda estão sendo estudados para receber ou não o sistema.

 

 Android 4.1 colocado na sede do Google (Foto: Reprodução)

O Android Jelly Bean, além de novidades como o assistente de buscas Google Now, ainda traz algumas funções expecificas para os aparelhos da Samsung. É o caso do “Easy Mode”, que facilita o uso de widgets e aplicativos, e do “modo bloqueio”, que desliga todas as notificações do aparelho quando o usuário não quer ser perturbado.

No Brasil, a situação das atualizações de sistema são um pouco complicadas, já que os usuários dependem da liberação das operadoras de telefonia para baixarem os updates. Mas como os primeiros países já estão recebendo o novo Android, há esperança de que ele chegue aqui ainda neste ano.

Via The Verge